Viagem de Comboio para Quem usa Cadeira de Rodas (Cadeirantes)

Acesso e conforto para todos

By Ines Matos    - 6 min read

O Japão é o país do "benri" (conveniente), e por isso não podia deixar de se notar que pensaram também na conveniência dos que usam cadeira de rodas. Na verdade, qualquer visitante ocidental, seja da Europa ou das Américas, poderá ficar surpreendido com o cuidado dado não só aos cadeirantes mas também a grávidas, idosos, ou pessoas com doença cardíaca, pelo simples facto de terem sido consideradas as suas necessidades específicas no modo de planear e de fazer funcionar as redes de transporte e os serviços. Por isso, se vive numa cadeira de rodas, não precisa de tirar dos seus planos uma viagem ao Japão, antes pelo contrário!

Este guia vai focar-se apenas numa situação específica: a deslocação de comboio. Para cada situação existem os seus desafios próprios e as soluções adequadas, por isso decidimos manter cada um dos guias em separado. No caso do uso do comboio, as questões começam logo ao nível da estação propriamente dita. As estações de comboios no Japão são tantas e tão variadas que não podemos assumir que o que vamos aqui dizer é 100% válido para todas, mas será seguramente válido para a maioria, e sobretudo nas cidades de alguma dimensão.

Ao aproximar-se da estação, quer esteja sozinho ou acompanhado, procure imediatamente o sinal de "accessible slope" ou スロープ, o qual costuma ter também o ícone da cadeira de rodas. Quando a estação tem uma escadaria na entrada principal, geralmente a rampa acessível fica de lado. Ao chegar às bilheteiras, que são quase sempre máquinas automáticas, provavelmente nem vai precisar de assistência, já que as bilheteiras estão posicionadas a uma altura que é pensada para as crianças da escola primária (que andam sozinhas de comboio).

A escolha de lugares no comboio é uma coisa que deve tratar caso a caso. Se vai usar um comboio rural normal, ou um metropolitano, provavelmente não precisa de fazer nada de especial, porque há espaço livre suficiente na carruagem para a sua cadeira. Mas se vai usar um comboio de longa duração, um semiexpresso ou um shinkansen, então nesse caso deverá comprar o bilhete na carruagem especificamente desenhada para a cadeira de rodas. Essa carruagem tem uma porta mais larga, lugares próprios para o espaço da sua cadeira, também tem uma casa-de-banho adaptada e uma sala separada que pode ser usada para descansar ou para ficar lá a viagem toda se lhe apetecer (simplesmente porque é mais sossegada).

Depois de ter o seu bilhete, dirija-se aos portões de acesso às plataformas. É certo que há passagens estreitas e fechadas, mas também há sempre pelo menos uma passagem larga, que é usada por vários motivos: para passar com uma mala de viagem, com carrinho de bebé, etc. Se a passagem mais larga estiver fechada basta aproximar-se dela na sua cadeira de rodas e irá logo ter consigo um funcionário da estação para lhe abrir essa passagem. Esse funcionário será o seu assistente nos próximos minutos.

Nas estações de comboio do Japão os funcionários têm várias funções para além de garantir que os comboios chegam e partem a horas, e uma delas é ser o "assistente pessoal" de todas as pessoas com mobilidade reduzida, o que na maioria dos casos até diz respeito a idosos (já que a população japonesa está cada vez mais envelhecida). Esse funcionário estará treinado para acompanhar a pessoa em cadeira de rodas até à plataforma do comboio que precisa apanhar. Seja por escada rolante ou por elevador (se existir), esse funcionário vai sempre andar consigo. Na escada rolante irá activar uma função alternativa da escada que agrupa os degraus 3 a 3 e que assim cria uma pequena plataforma para a cadeira de rodas poder subir ou descer. Mesmo uma vez já estando à beira da linha do comboio, o funcionário irá posicionar a sua cadeira exactamente no local onde vai abrir a porta da carruagem correspondente ao bilhete que tirou. Quando o comboio parar, esse funcionário vai colocar uma pequena rampa no chão e vai ajudá-lo/a a entrar na carruagem. Provavelmente o funcionário só vai mesmo abandonar a plataforma quando estiver já no seu lugar.

E ao chegar ao seu destino? O funcionário da estação que o/a ajudou a entrar no comboio viu o seu lugar no bilhete e a carruagem em que entrou, por isso já informou o seu colega na estação de destino. Esse colega estará à espera à porta da sua carruagem para voltar a colocar a rampa e ajudá-lo/a a descer. Pode parecer-nos um pouco estranho... Porque não têm elevadores em todas as estações? Porque não estão as carruagens todas ao mesmo nível da plataforma de embarque? Porque não têm um lugar de cadeira de rodas em todas as carruagens? Em vez de soluções permanentes de acessibilidade o Japão prefere que estas situações sejam assistidas por uma pessoa, alguém que é o rosto vivo da companhia dos comboios, e que assegura que todos os passageiros têm uma boa experiência.

Was this article helpful?

Suggest an edit

0
0
Ines Matos

Ines Matos @ines.matos

Portuguese free spirit with an acute passion towards Japan. Long time japanese language terrible student. Part-time photographer with incredible luck in finding people willing to exhibit my Japan-themed pictures. Owner of a piece of paper that states I'm an art-historian, post-graduate on namban-art and Portugal-Japan heritage and some other aparently boring stuff. But I do like art and culture... it alows me to know people and places deeply and experience the limits of perception and belief. My proudest achievement is the non-profitable project I've created and have run for some years, connecting Portugal and Japan with news, activities aiming students and teachers, workshops, conferences, etc.  Non-fictional books about Japan: "Um longo Verão no Japão" (A long Summer in Japan), "Geminação Cascais - Atami: história de uma amizade" (Twin cities Cascais and Atami: the story of a friendship), "Património de Cristianismo no Japão" (Intangible Cultural Heritage of Christianity in Japan), all of them in portuguese, two of them are a collection of essays atached to photography exhibitions. E-book free on www.clubotaku.com: "Japão: guia de sobrevivência" (Survivor Guide to Japan), also in portuguese. Several lectures and papers in english can be provided upon request. For video-conferences/on-line learning watch my youtube channel. These are the videos in english: 1- The velvet cape; 2 - Boats and bodies; 3 - Need a flag; 4 - southern point of view; 5 - Tales from within and beyond: the case of the Tanegashima gun - part I and II. https://www.youtube.com/channel/UCRQr5YwNF-VXhr6Gkycl-1A/videos?view_as=public soft spot in Japan: Kyushu and around...

Leave a comment

Back to Contents